segunda-feira, 30 de maio de 2022

Clube de Leitura 11º E

Os alunos do 11º E dinamizaram um Clube de Leitura com a Biblioteca Escolar. Ao longo do 2º período foram lidos 28 livros e lançados 8 desafios que pretenderam desenvolver nos alunos o espírito crítico, a criatividade e o hábito de partilha de experiências de leitura. Este foi um clube desenvolvido em parceria com os professores da turma, no âmbito de DAC, e envolveu a utilização de ferramentas digitais como o Padlet e o Flipgrid.

Vê neste Padlet os resultados de alguns destes desafios!

Criado com o Padlet

No próximo ano letivo, continuaremos a desafiar os nossos leitores! 

Queres participar? Envia-nos uma mensagem.


domingo, 22 de maio de 2022

Contornos da Palavra 2022

A nossa biblioteca recebeu mais uma edição dos Contornos da Palavra, uma iniciativa da Câmara Municipal de Viana do Castelo que pretende promover o livro e a leitura com oferta de diversas atividades às escolas. Encontros com escritores, teatro e workshops foram algumas das propostas que nos ajudaram a despertar nos nossos alunos o gosto pela leitura e pela escrita.



Workshop de escrita com Rui Cerqueira Coelho


Apresentação do livro "O quanto amei - Fernando Pessoa
e as mulheres da sua vida"pela escritora Sara Rodi.

Apresentação do livro " O Poço e a Estrada - biografia de
Agustina Bessa-Luís, pela escritora Isabel Rio Novo




"Mas alguém me perguntou se queria ir ao teatro?" 
peplo CDV - Teatro do Noroeste


Espetáculo "Stand-up Maias",
pela companhia Atrapalh'arte


Apresentação do "A incrível história da Língua Portuguesa",
pelo escritor Marco Neves


TV na Maior com nova página

 A TV na Maior tem nova página! Visitem-nos e acompanhem os nossos noticiários, entrevistas, reportagens e muito mais.

Imagem da página de abertura da TV na Maior, canal de TV escolar do nosso agrupamento.
Página TV na Maior

sexta-feira, 8 de abril de 2022

Sugestão de leitura: Humberto Delgado: Biografia do general sem medo


Capa do livro "Hmberto Delgado: biografia do general sem medo"

Chamaram-lhe terramoto e furacão. Uns apelidaram-no de general-dinamite, outros de cowboy e de general Coca-Cola. Ele próprio se retratou como um «Tufão sobre Portugal», mas foi outro o epíteto que ficou para a posteridade e no coração do Povo: Humberto Delgado, o General Sem Medo.

Esta é a primeira biografia do homem que desafiou Salazar ao proferir a célebre frase: «Obviamente demito-o!». Candidato à Presidência da República em 1958, Humberto Delgado galvanizou multidões de Norte a Sul, tendo sido vítima de uma das maiores fraudes eleitorais da História. A sua morte às mãos da PIDE, em 13 de Fevereiro de 1965, foi o principal assassínio político da ditadura e marcou indelevelmente a memória colectiva. Mito do Século XX, Humberto Delgado renasce neste livro, que narra passo a passo o romance de aventuras da sua vida, desde a infância no Ribatejo até à cilada de Badajoz. Escrita por Frederico Delgado Rosa, neto de Humberto Delgado, a presente biografia desvenda factos totalmente desconhecidos até hoje, relata pormenores intimistas vedados aos historiadores e faz surpreendentes revelações sobre o assassinato, lançando uma nova luz sobre o «Caso Delgado».

https://www.wook.pt/livro/humberto-delgado-frederico-delgado-rosa/16168271

Sugestão de leitura: Deixem falar as pedras, David Machado

 Capa do livro "Deixem falar as pedras"

No dia em que se ia casar, Nicolau Manuel foi levado pela Guarda para um interrogatório e já não voltou. Viveu, assim, quase toda a vida na urgência de contar a verdade a Graça dos Penedo, a noiva que mais tarde lhe seria arrebatada pelo alfaiate que lhe fizera o fato do casamento. Porém, sempre que se abria uma possibilidade, uma ameaça desviava-o dramaticamente do seu destino - e agora, meio século volvido, está velho de mais para querer mudar as coisas, gastando os dias com telenovelas. De tanto ter ouvido ao avô a sua história rocambolesca, Valdemar - um rapaz violento e obeso apaixonado pela vizinha anoréctica - não desistiu, mesmo assim, de fazer justiça por ele. E, ao encontrar casualmente a notícia da morte do alfaiate, sabe que chegou a hora de ir falar com a viúva: até porque essa será a única forma de resgatar Nicolau Manuel da modorra em que se deixou afundar.
Alternando a narrativa dos sucessivos infortúnios de Nicolau Manuel - que é também a história de Portugal sob a ditadura, com os seus enganos, perseguições e injustiças - com a de um adolescente que mantém um diário com numerosas passagens rasuradas como instrumento de luta contra o mundo -, Deixem Falar as Pedras é um romance maduro e fascinante sobre a transmissão das memórias de geração em geração, nunca isenta de cortes e acrescentos que fazem da verdade não o que aconteceu, mas o que recordamos.
https://www.wook.pt/livro/deixem-falar-as-pedras-david-machado/10691738

Sugestão de leitura: Os memoráveis, Lídia Jorge

 

Em 2004, Ana Maria Machado, repórter portuguesa em Washington, é convidada a fazer um documentário sobre a Revolução de 1974, considerada pelo embaixador americano à época em Lisboa como um raro momento da História. Aceitado o trabalho, regressa, contrata dois antigos colegas, e os três jovens visitam e entrevistam vários intervenientes e testemunhas do golpe de Estado, revisitando os mitos da Revolução. Um percurso que permite surpreender o efeito da passagem do tempo não só sobre esses "heróis", como também sobre a sociedade portuguesa, na sua grandeza e nas suas misérias.
Transfiguradas, como se fossem figuras sobreviventes de um tempo já inalcançável, as personagens de Os Memoráveis tentam recriar o que foi a ilusão revolucionária, a desilusão de muitos dos participantes e o árduo caminho para uma Democracia.
Paralela a esta acção decorre uma outra, pessoal e íntima: a história do pai da protagonista, António Machado, que retrata em privado o destino que se abate sobre todos os outros. Todos vivem na Democracia, uma espécie de lugar de exílio. Mas um dia, todas as misérias serão esquecidas, quando se relatar o tempo dos memoráveis.
https://www.wook.pt/livro/os-memoraveis-lidia-jorge/15614983

Sugestão de leitura: Que importa a fúria do mar, Ana Cristina de Carvalho

 

Frente a frente, duas gerações de um Portugal onde, às vezes, parece que pouco mudou…
Numa madrugada de 1934, um maço de cartas é lançado de um comboio em andamento por um homem que deixou uma história de amor interrompida e leva uma estilha cravada no coração. Na carruagem, além de Joaquim, viajam os revoltosos do golpe da Marinha Grande, feitos prisioneiros pela Polícia de Salazar, que cumprem a primeira etapa de uma viagem com destino a Cabo Verde, onde inaugurarão o campo de concentração do Tarrafal.
Dessas cartas e da mulher a quem se dirigiam ouvirá falar muitos anos mais tarde Eugénia, a jornalista encarregada de entrevistar um dos últimos sobreviventes desse inferno africano e cuja vida, depois do primeiro encontro com Joaquim, nunca mais será a mesma.
Separados pelo tempo, pelo espaço, pelos continentes, pela malária e pelo arame farpado, os destinos de Joaquim e Eugénia tocar-se-ão, apesar de tudo, no pêlo de um gato sem nome que ambos afagam e na estranha cumplicidade com que partilham memórias insólitas, infâncias sombrias e amores decididamente impossíveis.
Que Importa a Fúria do Mar é um romance de estreia com uma maturidade literária invulgar que coloca, frente a frente, duas gerações de um Portugal onde, às vezes, parece que pouco mudou.

https://www.wook.pt/livro/que-importa-a-furia-do-mar-ana-margarida-de-carvalho/14930644